A importância do teste de alergia..

Eu sou farmacêutica, apaixonada por cosméticos. Fiz cursos em cosméticos, já trabalhei com cosméticos e hoje trabalho com pesquisa clínica (testes de medicamentos / cosméticos em pessoas). Apesar disso, confesso que SEMPRE ignorei os rótulos de cosméticos que pedem pra fazer o teste de alergia.. por pura preguiça, sabe? Mas essa semana 2 acontecimentos me deixaram assustada: meu pai teve uma alergia bem feia com um produto novo, e esse post da Pri, no Passando Blush.

 

 O teste de alergia é bem simples, e todos os cosméticos mais ‘fortes’ (cremes depilatórios, tintas de cabelo, tonalizantes, peelings caseitos etc) pedem para que seja feito. Normalmente é feito com a aplicação do produto em uma área pequena do braço ou atrás da orelha, e deve-se esperar 24h para certeza de que nenhuma alergia aparecerá. A espera de 24h é o que a maior parte das pessoas esquece, porém é essencial pois existem as alergias imediatas (quando você já teve contato com o composto causador) ou as alergias tardias (seu corpo demora algumas horas para reconhecer o composto como um alérgeno e causar os sintomas). Se você teve algum sinal de alergia leve (coceira, vermelhidão, inchaço, entre outros) não use o produto e corra para um médico!

Eu sei que tenho alergia a formol – fiz escova progressiva duas vezes, e na segunda vez meu couro cabeludo ardeu/queimou muito, além de ficar descascando por uns dias. Horrível, né? Morri de medo de ficar careca!

Com meu pai foi parecido: Ele usou uma tintura de cabelo nova (a vaidade é genética! hahaha) e teve uma super alergia: o couro cabeludo está cheio de bolhas e descascando há uma semana! Horrível né? Isso tudo porque ele não fez o teste de alergia..

 

Mas apesar dos testes, existe a bendita síndrome da intolerância a cosméticos, já ouviu falar?

Ela tem os sinais e sintomas típicos de inflamação, como vermelhidão, inchaço e formação de pequenas bolhas (vesículas) e ainda uma irritação subjetiva nada agradável, pois é uma resposta não inflamatória aos produtos aplicados na pele.

Essa irritação subjetiva nada mais é do que reação sensorial, com ardor, queimação, coceira, mas sem alterações cutâneas visíveis. Isto é o que pode-se chamar de “pele sensível”. Esta reação é conhecida por dermatite de contato sensorial ou subjetiva ou, ainda, síndrome da intolerância a cosméticos.

O problema acontece somente no rosto: a pessoa reclama de reações no rosto, mas consegue utilizar o mesmo produto no resto do corpo. Algumas substâncias que podem desencadear a pele sensível seguem ao lado: ácido benzóico, ácido cinâmico, emulsificantes não-iônicos, laurilssulfato de sódio, bronopol, ácido lático, propilenoglicol, uréia e ácido sórbico.

Alguém já teve isso? Eu já tive com creminhos noturnos, é muito estranho!

 

Você já teve qualquer tipo de alergia? Comente!!

Anvisa muda regra para protetores solares

Saiu hoje a publicação da nova RDC de regulamentação dos filtros solares, seguindo a mesma linha de proteção do FDA nos EUA.

 

Informação do site da ANVISA:

 

Os produtos de proteção solar utilizados pela população brasileira ganharam novas regras para garantir a proteção da pele dos usuários. Uma das principais mudanças é que o valor mínimo do Fator de Proteção Solar (FPS) vai aumentar de 2 para 6 e a proteção contra os raios UVA terá que ser de no mínimo 1/3  do valor do FPS declarado. O FPS mede a proteção contra os raios UVB, já o FP UVA mede a proteção contra os raios UVA. Para tais comprovações, as metodologias aceitas pela Anvisa foram atualizadas  e foi estabelecida uma metodologia específica para a comprovação contra raios UVA, que, até então, não estava definida.

A resolução RDC 30/12, publicada nesta segunda-feira (4/6) pela Anvisa, também aumenta os níveis dos testes exigidos para comprovar a eficácia do protetor. Pela norma, alegações, como resistência à água, terão que ser comprovadas por metodologias específicas definidas no novo regulamento. Os fabricantes poderão indicar em seus rótulos as expressões “Resistente à água”, ” Muito Resistente à água”, “Resistente à Água/suor” ou “Resistente à Água/transpiração”, desde que comprovem essa característica.

O rótulo dos protetores solares terá mudança ainda em suas informações obrigatórias. A orientação sobre a necessidade de reaplicação será obrigatória para todos os produtos, mesmo aqueles mais resistentes à água. Além disso, fica vedada qualquer alegação de 100% de proteção contra as radiações solares ou a indicação de que o produto não precisa ser reaplicado.

O prazo de adequações dos fabricantes à norma é de dois anos. A nova regra segue os novos parâmetros para protetores solares adotados em todo o Mercosul.

 

Eu gostei bastante. Isso mostra que a ANVISA está preocupada em manter a população prevenida contra os danos dos raios solares, melhorando o controle dos filtros disponíveis no mercado.

 

O que vocês acham?

Estudo detecta chumbo em 400 batons vendidos nos EUA

Li a reportagem abaixo no UOL e fiquei bastante preocupada.. Chumbo em batons não é nada Saudável!

 

Vejam só:

 

Pesquisa recente feita pelo governo americano com os 400 batons mais vendidos no país detectou níveis elevados de chumbo na composição dos cosméticos. Segundo o Washington Post, a discussão sobre a quantidade de substâncias químicas nas maquiagens não é novidade, mas a escala do material encontrado foi superior a outros estudos já realizados.

Cinco batons da L’Oréal e da Maybelline, marcas da L’Oréal americana, estavam entre os 10 mais contaminados, segundo o teste da agência de vigilância sanitária dos Estados Unidos (FDA). Além disso, dois produtos da Cover Girl, dois da Nards e um da Stargazer também figuraram na listagem.

O resultado da análise dos componentes presentes nos cosméticos acirra a discussão entre os integrantes da Campanha por Cosméticos Seguros e o governo americano. Há anos o grupo pressiona o governo para que haja regulação no nível de chumbo nos batons.

O FDA defende que os níveis do componente encontrados nos batons não representa risco à segurança dos consumidores, ainda que o mais recente teste tenha apresentando quantidades superiores ao primeiro.

Os integrantes da Campanha, por sua vez, afirma que a vigilância sanitária do país não tem estudos científicos que comprovem que de fato o uso do batom não cause nenhum prejuízo à saúde das mulheres, especialmente as grávidas e as crianças.

Os primeiros relatos de chumbo em batons tiveram início nos anos de 1990 e, em 2007, o grupo Campanha por Cosméticos Seguros testou 33 batons vermelhos para provar que eles excediam o limite aceitado pelo FDA de chumbo em doces. O órgão apontou a comparação como inválida, pois os batons não são feitos para ingerir, como os doces, e em 2008 fez os primeiros testes próprios em 20 cosméticos.

A cientista do Conselho dos Produtos de Cuidado Pessoal, Halyna Breslawec, em entrevista aoWashington Post, declarou que o chumbo não é acrescentado pelas empresas. Segundo ela, eles estão presentes nos corantes feitos a partir de minerais que são aprovados pela vigilância sanitária.

 

Fonte: UOL

Quando jogar seus produtos fora?

 

Por mais que seja triste, os nossos belos cosméticos e maquiagem tem um prazo de validade. Os conservantes presentes nos produtos de beleza tem um tempo limitado de vida, e depois disso pode ocorrer o crescimento de fungos e bactérias.

Produtos importados (geralmente dos EUA), trazidos em viagem ainda não tem prazo de validade – os Estados Unidos ainda não regulamentam data de validade em produtos cosméticos (!!), mas temos que saber quando jogar fora. Para produtos brasileiros e importados oficialmente, todos devem ter um prazo de validade específico, calculado de acordo com os testes de eficácia de conservantes.

Além do prazo de validade de um produto, também devemos prestar atenção na indicação da embalagem que mostra por quanto tempo você pode guardar o produto depois de aberto – quando o produto é aberto, há contato com o ar e bactérias das mãos, que aceleram na degradação dos convervantes. Por isso, mesmo que seu produto tenha validade de 3 anos, se depois de 6 meses aberto ele mudar de cheiro / textura, lixo!

Se você não se lembra quando comprou / abriu um produto, veja aqui algumas dicas de como saber se já é hora de dizer adeus:

  • Alteração de cor ou cheiro.
  • Se endureceu ou está provocando irritação nos olhos (no caso de cosméticos e maquiagem para a área dos olhos)
  • Mudança na textura (produtos líquidos, em pasta ou lápis).
  • Alteração na consistência (cremes, emulsões, protetor solar)

Produtos líquidos, que contém água em sua formulação, são geralmente os que possuem menor vida útil depois de abertos, já que a água é um ótimo meio de cultura para bactérias e fungos. Produtos em pó (sombras, pó compacto, blush, etc) são os que tem a maior vida útil, pois é muito difícil haver o crescimento de bactérias e fungos – mas isso não significa que eles duram para sempre, pois só o contato com o ar já causa a oxidação da matéria prima, alterando sua estrutura e propriedades!

Só pra vocês terem uma ideia, essa é a média de prazo de validade dos produtos:

Batom: aproximadamente 18 meses a 2 anos, dependendo da formulação.
Máscara para cílios: de 3 a 6 meses, e em alguns casos, 1 ano no máximo mesmo. Passando disso, ele fica ressecado e pode causar irritações.
Blush e sombra: de 12 a 18 meses. Porém, se bem conservado, longe do sol e umidade poderá durar até 4 anos.
Delineador líquido: mesmo caso da máscara, de 3 a 6 meses.
Pó facial: Se for bem conservado chega a durar até 10 anos sem maiores problemas.  Este vale a pena investir e cuidar bem.
Base: em média entre 1 a 2 anos.
Lápis de olho e boca: 2 anos.
Loções, emulsões, cremes: em média 2 anos de duração.
De quanto em quanto tempo você joga fora seus produtos?

Medicin – Estudo Clínico sobre olheiras

Essa é pra quem é de Osasco / SP ou região:

 

Tenho uma amiga que trabalha em uma empresa de pesquisa clínica de cosméticos chamada Medcin. Nessa empresa vai acontecer um estudo clínico sobre olheiras, onde vão estudar as pessoas com e sem olheiras. E quem participar não sai de mãos vazias: Ganha um kit da empresa patrocinadora!

Eu também trabalho com estudo clínicos (não de cosméticos, mas tá valendo!) e estou adorando a idéia! Já me inscrevi e vou no dia 2 \o/

Vejam o cartaz de divulgação:

 

Eles estão com horários bem flexíveis para o estudo, incluindo sábados e o feriado do dia 2. É pra ninguém perder! :D

Quem preferir, pode se inscrever também por email, direto com a Juliana Bueno –  julianabueno@medcinonline.com.br

 

Vamos todas? :D Quem for me conta o que ganhou! :D