A Flora Bacteriana na pele

Já parou pra pensar que temos bactérias na nossa pele, 24h por dia? Eca!

Parece ruim, nem sempre é! Vejam só:

 

A pele é preenchida em toda sua superfície por diversos tipos de micro-organismos, constituindo a flora cutânea. Ela é formada por:

  • uma flora chamada “residente”, que existe naturalmente na superfície da pele. Ela é constituída por micro-organismos chamados saprófitas;
  • uma flora “transitória”. Os micro-organismos que a compõem são hóspedes acidentais da pele, cuja sobrevivência sobre o território cutâneo é fraca e temporária. Estes micro-organismos são chamados “contaminadores” ou também“patógenos”.

 

A flora residente normalmente se concentra na camada descamante e nos folículos pilares. Pela necessidade de água e nutrientes para seu desenvolvimento, os locais onde eles encontram tais substâncias para sua proliferação são os anexos cutâneos, portanto regiões com grandes quantidades de glândulas sebáceas e glândulas sudoríparas são ideais para o desenvolvimento dos micro-organismos. Existem três grandes espécies que normalmente compões a flora residente: propionibactérias, os estafilococos e leveduras.

 

A flora transitória ocorre quando há uma contaminação. São, portanto encontrados em regiões “descobertas” do corpo, expostas ao meio ambiente. As principais são o Estafilococo dourado; Estreptococos; Leveduras.

E por que precisamos destas floras bacterianas?  A competição entre os micro-organismos residentes e os transitórios permite uma proteção relativa contra estes últimos. É, portanto primordial conservar a flora cutânea residente em bom estado, garantindo maior proteção contra a inoculação de micro-organismos patógenos.

Portanto, nada de ficar usando sabonete anti-bactérias sem necessidade, ou uma contaminação por bactérias patógenas poderá ser bem pior que o normal! (:

One comment

Deixe uma resposta